domingo, 12 de janeiro de 2014



Gosto de pensar que não sei de nada

E até penso que sei alguma coisa.




Foi pesquisando embriões

Que observei algumas canções




E o que nelas diziam...




Mas preste atenção, não olhe para minha face!




Meus olhos estão infestados de insanidade

E meias verdades carregadas de culpa.




Qualquer palavra é pútrida

Quando sou eu quem às guia contra o eu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário