quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Por dentre estas cordas bambas 
Somo divido subtraio uma harmonica
Mergulho de ponta 
Em minha caixinha de rodinhas 

Em panico ligo desligo 
E ligando novamente aciono movimento 
Ando e nem um ponto não coube 
Se o vento leva leve pesos

Me deixo ser levado por correntes
Aprisionado nos meus medos
Pouco durmo não tenho sossego
As lembranças me colocam em desespero

Todos aqueles momentos cheio de risos
Uma alegria imensa dentro de mim 
Você colocou fim
Meu pranto agora é pouco estou mais louco

Nada me pertence e pouco conquisto 
Não quero mais nada além de ti
Mais nada me interessa nem tão pouco a pressa
Nada que me resta é você aqui 

Nenhum comentário:

Postar um comentário