quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

DESERTO

Definho neste mar de definições 
Sendo mutavelmente definido indeferido
Ferido mutilado renegado nego me definir 
Classificando eu n'um solo distorcido 

Defendo minha rapa nata cremosa 
Com rima ou sem imã atraído ou repelido
Planto semeia cultivo fruto proibido 
Nó atado desata do umbigo 

Para citar desfecho implico só farsa dizer
Mergulho profundo à fogo fumaça brado cinza
Iminente não ludibrio embriago a causa 
Pausa da mente refugio minha alma

Vorazes caçadores filmando e nós cantando
Diversas línguas conecta teia seu fim 
Apontando para este parasita 
Nada sei destino tino imprudente 

Bruscamente freio a mente 
Acelero ávido pálido 
Até secar    

    
  
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário