quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Não pergunte-me, não disse nada!

As vezes não conseguimos entender,
Porque não conseguem nós entender.

O que será que tem de errado que todos saem de sua volta,
Serás ele feio, se veste desigual, é anti social, caracter imparcial...
Oque será?

Está na cara dele e ele não pode ao menos avistar,
Se sente indiferente onde cresce ao meio de tantos,
Pobre e feio,
Desigual a sociedade que também não compreende,
Mas não desiste do que convêm, ajuda ao próximo
Consumir no proposito de saciar um momento

Saciado
Saciado

Não entendem a feiura de um inocente
Sejas persistente olha à frente, escuita as vozes inconscientes
Escreves como queiras, mas mostre essa mascara
Não é dinheiro que queremos
Nem queremos matar ninguém
Queremos distribuir a paz

Está tudo bem rapaz?
Sim!
Me entende?

Ao final de um capitulo ninguém é capaz de compreender,
Quem vai dizer que você pensou...

Chega!
Você só tem mau halito garoto.
O que você comeu?

Xiiii
Tanto e tanto
Vai arremedando

Olha o odor do enxofre a volta,
Elimine os odores que não acomodam
Incomodam como seu discurso sem curso
Atravessados por nós que queremos sem bem

Bem longe desse

Nenhum comentário:

Postar um comentário