segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Ritual


Vamos nos encontrar no paraíso das noites ébrias,
Envolver-nos de sentimentos celestes.
Vamos após os degraus da montanha aflita,
Embebecer a pele com orvalho fluido
De todos nossos prazeres.

Arriscar-nos a morte abstrata e comentada
Por ancestrais do passado, o rito inacabado.
Entregar os lábios de beijos suaves e molhados
Aos deuses dos "pecados".

Dançar fazendo amor com a loba de riso irisado.
Tomarmos dos banhos em águas cálidas embalsamadas,
Purificando o ser do impuro amado.
A donzela encravada em seu peito o punhal.

Palavras de profecias em tom ignóbil
Pronunciando a oração final.
Enceramento de uma cerimônia
Cultuada.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário