terça-feira, 13 de setembro de 2011

Em meu desejo enlouqueço

Não desejo buscar 
Esquecer-te
Mas sim te amar a 
Cada milésimo de
Segundo mais e mais

Não à venerarei 
Noite dia como rainha
Pois pra mim será 
Minha eterna princesa

Cativarei do principio 
Passando ao meio
Até lentamente 
Chegar ao fim

Tu és meu desejo 
Mais profundo

Durante noites navego 
Em navios náufragos
Observando aquilo que 
Não pode ser meu

Os dias nos mostram 
Suas varias faces
Levando nossos 
Desejos as traças

Morrendo as ultimas 
Sementes de um amor 
Talvez platônico 
Por vezes doentio

Carregado de confusões...

Nenhum comentário:

Postar um comentário