sábado, 17 de setembro de 2011

Direito Algum

Anda na mão da contra mão
Não sabe pra onde vai
Caminha inverno
Hoje tem cara de verão

Não tem horas
Não tem coração
Gelado é o inverno
D'outra estação

Cumpriu ao acaso certo
Esperava uma reação
De nada nunca valeu
Seu inverno quente

Em um coração

Amargurado na primeira
Impressão
Infestado de objeções
Sem direito a decisões

Cada ato um passo
Uma imputação 
Sem perdão, salvação
Por si só condenação

Nenhum comentário:

Postar um comentário