domingo, 21 de agosto de 2011

Unica

Tantas bocas já beijei 
Tantos gostos já senti 
Tantos abraços abracei.
Enlacei o que vivi sem viver. 


Em tudo isso não tive a graça
De possuir em veracidade 
Aquela cara metade. 


Por isso transporto-me 
Em palavras envolventes 
Tapando meus sentimentos,
Escondendo minha vida da vida.


Trancando-me nessa existência vazia. 
Vazia de você, sem você. 
Com você longe de mim.


Onde nada se compara
Nem o beijo, gosto e abraço


Unica!
Unica!


Essa é a palavra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário