sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Sentimentos ocultos

Sinto minha carne 
Servindo de alimento 
A estes pequenos 
Que ajudam a decompor 
Meu corpo 

Invade no fundo 
Da alma um saber 
E ver, mas nada 
Podendo fazer se 
Deixa me sozinho 

Assim não vivo 
Quero o simples 
Riso solto 
Em meus lábios 
Atraindo os teus 

E sem nos ferir 
Amai-nos nós 
Enquanto durar 
O momento 
Que vivemos

Nenhum comentário:

Postar um comentário