segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Quero Mais...

E é assim...
Nada passa ter interesse,
Nenhum desejo é maior
Que ter ela preenchendo o peito
O saciável desespero tornando-se
Insaciável prazer até chegar
A paranoia que deixa minha cabeça.

Ela me confundiu,
Mistura meus amores
Com novelas e musicas
Faz da minha vida
Uma agonizante tortura,
Mas e agora que me apeguei,
Como solto, como deixo seu cheiro?

Quero mais... Quero mais...
Passo te a língua para amolecer,
Escorrego meus dedos por seu corpo
Com jeito e desejo de fogo.
Perco o controle, esqueço tudo a volta
E acendo nosso ato de tortura e prazer.

Dela quero me abster,
Mas preciso de uma mão para me deter.

Nenhum comentário:

Postar um comentário