segunda-feira, 8 de outubro de 2012

O Que Sou Agora

As vezes estou tão errado 
Que longe prossigo. 
Não sei a que ponto me permito 
Ou se és que me direciono 
Com minhas mãos ao volante 
De minha vida. 

Não sei quais letras são as minhas. 
Pois sinto em tantas outras, 
Tantas outras repetidas palavras... 
Sem deixar entrelinhas meu desconforto 
Em outro horizonte que não permanecerás 
Em mim e tudo amanhã...

Um novo dia é que espero, 
Ver no céu azul um avião, 
Pássaros humanos... 

Até voamos por tantos espaço, 
Olhando paro o alto 
Avisto um astro, 
Vejo planalto, 
Vejo tudo...

E mais um pouco que pensam 
Estar escondendo de mim.
Pré-moldando a luz no espelho, 
Teu rosto, teus defeitos.

O que sou agora,
Além de mim?...

Nenhum comentário:

Postar um comentário