sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Escadas



Subindo e descendo escadas
Quase' todos são felizes,
Menos atores e atrizes
Confundidos com papeis 

Descendo e subindo escadas
Quase' todos são tristes,
Não fora o povo 
Com suas línguas de fogo

Saltando ao poço 
Sentirás que gosto,
Se não o osso 
Ao léu

Subindo escadas e voltando 
Dando voltas e subindo 
Sem perceber ser o ciclo
Rito incontido 

Desejos incessantes 
Aflora e brota
Entre o infindo
Degraus para...



Com todo desencanto perdera-se no escuro, sem mostrar a dor que sentira no paraíso aceitando o abismo que se criara, por desventura ou aventuras, tantas vi vidas, não vão te chamar de velho, mas de pateta. E o que lhe restaras a dizer é:

  Não fugirás daqui sem sentires o verdadeiro amor,
  Não deixarás aqui sementes do mal crescerem,
  Não se alimentarás destes que nascerem, mas ao fogo darás,
  Não comerás frutos podres, mas não se confunda fruto com teu próximo. Pois este, tu terás de cuidar, sempre com amor.
  
Assim compreendeis que teu irmão não lhe deu as mãos, por ter mãos atadas, quem desatará se acharás nos caminhos das escadas... 


Silêncio... Tem alguém chegando. 
   

Nenhum comentário:

Postar um comentário