domingo, 10 de junho de 2012

Eras Lua

Eras Lua


E toda noite em que a lua se por cheia,
Estarei a cultua-la em ritos
Invocando nossos ancestrais
E disparando contra corpos
A beleza da paz.

Encha todas as casas com alegria
Que nem mesmos nós saberíamos
Decifrar tanto mar e fogo,
Queimando e regando
Nossa inocência.

Sem pudor, somente louvor,
Cálice de paz que entrar em cena.
Todos buscando e defendendo somente o seu...
Não! Não seria bem assim, mas tem lá quem o faz.
Por isso, Vamos lá... Preservamos, mas erramos.
Cuidamos, mas descuidamos.
Tentamos o possível para não cometer erros,
Mas, quanto descuido. Não vemos?

Então, corrigi-vos!
Ainda há tempo,
Ainda há algum tempo...
As peças estão se movendo.      

Nenhum comentário:

Postar um comentário