quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Estado Febril

Meu estado depressivo é tão elevado

Que pequena palavra tem poder suficiente

Para queda de lagrimas



Não é agradável

Não é de todo ruim

Aprendemos assim



Meu coração que era feito pedra

Hoje é como manteiga

Derrete-se a mesa



Lembranças

Decepções

Erros



Morte

Vida

Morte

--------------------------------------------------------------------------------



Já Não sei distinguir

Quem quer meu bem

Quem quer meu fim



Não sei ver a maldade em todos

Mas nos que vejo

Sinto nojo



Não tenho maldade

Contra ninguém

Mas iro-me

Contra quem tem



A mim

A outro

Aos meus

Nenhum comentário:

Postar um comentário