sábado, 17 de setembro de 2011

Já Não Me Permito

Já não me permito
Dizer qualquer palavra
Qualquer verdade
Qualquer 'mentira"

Estou cansado de aceitar
Hipocrisia que me persegue
Não saber o que fazer
A cada novo momento

O que fazer de mim

Lutando como tanta gente
Tantos tentam não entendem
Tanto sabem sentem
A mente cria o bem

Cria o mau também

Não é diferente pra mim
Muito menos pra você
Que olha da TV o que não
Deveria aprender

Violência e insolência

Criada por nossa própria
Sociedade
Anti social eu que não me
Dou com vizinhos

Mas engano a mim mesmo
Escondendo aquele menino
Tão "puro" e "meigo"
E não confunda olhos alheio

Todos tem os seus preceitos
Princípios construídos
De seus alimentos filtrados
No tempo

E no mesmo corrompido
Tudo escarnece
Torna-se meramente
Borra

Nenhum comentário:

Postar um comentário