segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Inevitável

Não sei o que faço
Se permanece deitado
Logo levanto-me

Se escrevo uma linha
Berro a dor de um livro
Que não existia

Negativa das escolhas
Nada possui
Não é unica palavra

Ouvida e pronunciada
Tanto faz
É por ai que não vai

Sempre vai
Para algum lugar
Haverá de ir

Tentar consertar
Algumas mascaras
Irão cair

Se levantar com a cicatriz
Outras de algum modo
Irão persistir

Se for impossível
Ninguém irá
Desistir

Nenhum comentário:

Postar um comentário