sábado, 24 de setembro de 2011

Eternizada

Não é possível conceber
O porquê
Mas sumir de você

Não vou correr
Não vou esconder
Não vou lhe dizer

Ontem você era
Impossível
Hoje torno-me invisível

Pra ficar gravado até aqui
O que fiz comigo
Sonhando de cabeça em livro

Apenas histórias passadas
Que agora me gritão
Eu eternizo...

Lembro-me que preciso
Sem Ár
Padeço
Não vivo

Nenhum comentário:

Postar um comentário