sexta-feira, 19 de agosto de 2011


Toda essência orvalhada em pureza sem distinção e mesmos anseios.
Impetuosa a Concupiscência exposta na cara,
Afectando e testando sua força.
Testes que sanam duvidas de si mesmo e entregam santidade.
Exploração do ser que nada sabe sem saber,
Procura alívio pra ferida d’ alma
É com sentimento!
Não razão!

Aproximasse da essência que envolve ofegante em prazer.
Declinasse sobre a pele sedosa e suave
De um balsamo confortável.
Que abala!
Alegra casa, alegra família rabiscando paredes,
Que vê em caras a existência que
Ambos duvidam...
Amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário