quinta-feira, 4 de agosto de 2011

A historia ainda está aqui

O que trago da vida 
Se não a amargura de viver.
Amargura de sentir o que não sei.
Saber que sinto o que não conheço,
Desconhecendo a mim de mim,
Sem saber o que tenho, sem possuir.
Sentindo na vontade o desejo de ter.
Ter somente por saber
Que sinto o que não sei,
Mas que provavelmente
Aliviará minha amargura.
Tragando o amargo que
Aos pulmões do coração
Sente doce, leve e suave.
Que nisso sem exigências,
Não desejo nada além
De seu olhar ao meu.
Perto o suficiente para
Não ser apenas um sonho
Como todos outros que tenho
Tuas mãos sem ter.
Lutando comigo mesmo
Para esquecer-se de tudo
Perdendo todas essas lutas
Que não aprendi ganhar.
Desistindo e tentando esquecer
Por medo de não saber o que.
Desistindo?
Quem disse que desisto
Do que me faz ser?
Enganar a si mesmo
Como se fosse bom.
O que é ruim então?
Mudanças de planos nunca existiram,
A historia ainda está aqui.
Ela só começou e sabemos disso,
Está na historia o que se deixou pra trás,
Sem ter deixado.

Um comentário: