quinta-feira, 7 de julho de 2011

Prossigo

Prossigo virtuoso com minha vida pacata.
Paro... Penso... Divago em meu sóbrio
Sonho de quem já não dorme.
Uma busca que não muda,
Pois sei e a cada passo de tempo
Confirmo meu querer.
Não me transforma diferente
De outros por ser intruso da sua vida,
Mas para compensar invasão
Não jogarei palavras em vão.
De tudo que lhe fora ou for dito,
Havendo intensidade na compreensão,
Estará meu ser preparando-se
Para o desconhecido lutar por seu coração.
Sinto o fogo da vida,
Pular de lado a outro,
Clareando com suas belas chamas
Minha sincera devoção por sua pessoa.
Busco em minhas repetidas e fracas palavras 
De alguma forma agradar
A quem tenho honra admirar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário