terça-feira, 5 de julho de 2011

Eles e eu, Eu e eles.

Há tempos que já não
Me encontro aqui tão personagem.
E que tantos desenrolares de palavras,
Se refere ao viver em que tenho tido.
E ainda que tristezas e alegrias me venham,
Não sei fazer outra coisa, se não viver
Intensamente esse momento tão por mim querido.


Sei bem da pobreza de meu vocabulário,
Dos meus contínuos erros gramaticais e lingüísticos.
Muitas vezes, fujo da qual verdadeira pessoa deveria
Estar em tais escritos, complico e escondo-me atrás
De um erro notável e que deixa a pergunta no ar:
Quem haverá de ser esse que esta a declarar?
Não, não sou eu toda obra a ser publicada,
Mas com certeza há de ser maioria
Depois que encontrei motivos para essa graça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário