quarta-feira, 6 de julho de 2011

Silêncio abrigo

Havia de ser simples
Acontecimento... Ação... Emoção...
Com isso tantos outros sabores sentiria.
Longe de se preocupar com o que viria,
Mas agradável composição de cenas
De fato presenciaria.
Demoro a entender o que levou
A uma possível madrugada em
Claro sem real necessidade.
E a que força duvida de pequena
Entrega se não era pra nada.
Sinto no meu erro apressado
A vontade de não ter mais vista.
Deixa a incredulidade de sua mente,
Vazio e vago do meu falar,
Que nada mais volto a sonhar.
Procuro agora meu silêncio,
Para dessa dor indescritível
Me abrigar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário