quinta-feira, 5 de maio de 2011


"O amor é paciente, é benigno...
O amor não arde em ciúme, não se inflama...
Não se ensoberbece não se conduz inconvenientemente...
Não procura os interesses, não se exaspera.
Não se recente do mal, não se alegra com injustiça...
Mas regozija-se com a verdade...
Tudo sofre tudo crê...
Tudo espera Tudo supera...
O amor é sempre paciente e generoso, nunca invejoso...
O amor nunca é prepotente, nem orgulhoso...
Não é rude, nem egoísta...
Não se ofende, nem se recente...”

O amor é como o vento, a gente não vê, mas a gente sente!”

Nenhum comentário:

Postar um comentário